Eu Sou o Cara

O presente texto foi publicado pelo Irmão David R. Flight, Past Master da Loja Cauvenzer (Cauvenzer, Nova York) como introdução a um programa de mentoria para novos candidatos. O autor do texto é desconhecido.

EU SOU O CARA

Autor Desconhecido

Traduzido por Luiz Felipe Rosenzweig Ferreira

Eu sou o cara que pediu para se juntar a sua organização. Eu sou o cara que pagou as taxas para entrar. Eu sou o cara que se levantou diante de vocês e jurou ser fiel e leal.

Eu sou o cara que veio para as reuniões e ninguém prestou atenção. Eu tentei várias vezes ser amigável com os Irmãos, mas todos eles tinham os seus próprios amigos para conversar e se juntar.

Sentei-me várias vezes, mas ninguém prestou atenção. Eu esperava muito que alguém tivesse me pedido para participar de um projeto de arrecadação de fundos ou algo assim, mas ninguém viu meus pedidos quando eu me ofereci.

Eu perdi algumas reuniões depois de iniciar, por que estava doente e não podia participar. Na reunião seguinte ninguém me perguntou por que eu não tinha ido. Eu acho que não importa muito para os outros se eu estava lá ou não.

Na próxima reunião eu decidi ficar em casa e assistir TV. Na reunião seguinte que participei ninguém me perguntou onde eu estava quando da última reunião.

Você pode dizer que eu sou um bom rapaz, um bom pai de família, que tenho um bom trabalho, que amo minha comunidade.

Sabe o que mais eu sou? Eu sou o cara que nunca mais voltou.

Diverte-me quando penso sobre a forma como os chefes da organização e os membros discutem porque estão perdendo membros.

Diverte-me agora a pensar que eles passaram tanto tempo à procura de novos membros que a todo tempo eu estava lá.

Tudo o que precisavam era me fazer sentir útil, querido e bem-vindo!

Deixe uma resposta