Presidentes Americanos Maçons (Parte 2)

O York Blog publicará nas próximas segundas uma sequência de resumos biográficos dos Presidentes Americanos Maçons publicado pela Grande Loja do Texas.

Presidentes Americanos Maçons

Por Grande Loja do Texas

Tradução: Luiz Felipe Rosenzweig Ferreira

 

JAMES K. POLK, 11º PRESIDENTE AMERICANO (1845 – 1849)

James K. Polk nasceu no Condado de Mecklenburg, Carolina do Norte, em 2 de novembro de 1795. Estudioso e trabalhador Polk se formou com honras[1] em 1818 na Universidade da Carolina do Norte. Como um jovem advogado entrou para a política, servindo no legislativo do Tennessee, quando se tornou amigo de Andrew Jackson. O Irmão Polk foi iniciado na “Columbia Lodge” em 5 de junho de 1820 na Columbia, Tennessee. Ele foi passado e elevado nesta mesma Loja, apesar das datas serem desconhecidas. Em 1825 foi exaltado em Maçom do Real Arco no Capítulo “LaFayette” também em Colúmbia. Polk serviu como Governador do Tennessee entre 1839 e 1841, antes da sua eleição como Presidente dos Estados Unidos. Ele serviu em apenas um mandato presidencial entre 1845 e 1849 deixando o cargo com a saúde debilitada e morreu poucos meses depois em 15 de junho de 1849 em Nashville, Tennessee.

 

JAMES A. BUCHANAN, 15º PRESIDENTE AMERICANO (1857 – 1861)

Nascido em Cove Gap perto de Mercersburg, Pensilvânia em uma influente família local em 23 de abril de 1791. James Buchanan graduou no Dickson College, sendo um grande debatedor e estudioso da lei. Alto, imponente e rigidamente formal foi o único presidente que nunca se casou. O Irmão Buchanan foi iniciado em 11 de dezembro de 1816, passou e elevou na “Lancaster Lodge” em Lancaster, Pensilvânia. Ele serviu como Venerável Mestre de 1822 à 1823. Em 1824 foi nomeado District Deputy Grand Master para os Condados de Lancaster, Líbano e York. Seu mandato como Presidente foi repleta de controvérsias em torno de questões de direitos de estados[2] e escravidão[3][4]. Iniciando o mandato em 1857, Buchanan saiu do cargo após um mandato e retornou a Lancaster, Pensilvância, onde morreu em 1º de junho de 1868.

 

ANDREW JOHNSON, 17º PRESIDENTE AMERICANO (1865 – 1869)

Nascido em Raleigh, Carolina do Norte, em 29 de dezembro de 1808, Johnson cresceu na pobreza. Quando menino foi aprendiz de alfaiate mas fugiu. Ele abriu uma alfaiataria em Greenville, Tennessee, casado com Eliza McCardle, e participava de debates regionais. Entrando para a política, ele se tornou um escritor de discursos defendendo o homem comum. Johnson iniciou, passou e elevou na Maçonaria em 1851  na “Greenville Lodge” em Greenville, Tennessee. Após o assassinato de Abraham Lincoln em 1865 a Presidência recaiu sobre Johnson, um antigo Jacksonian Democrata[5]. Embora honesto e honrado Johnson foi um dos mais desafortunados Presidentes. Os congressistas republicanos foram radicais contra ele, usando táticas brilhantes e implacáveis. Em 1867 a Câmara dos Representantes[6] votou onze razões[7] para promover o impeachment de Johnson. Ele foi julgado pelo Senado na primavera de 1868 e absolvido por um voto[8]. Enquanto servia como Presidente recebeu os Graus do Rito Escocês [9]durante 1867. Johnson deixou a Casa Branca em 1869 depois de cumprir quase quatro anos como Presidente. Ele morreu em 31 de julho de 1875 em Greeneville, Tennessee.

[1] Não foi identificado qual das honras universitárias o Irmão Polk recebeu, porém, é certo que obteve médias de, pelo menos, 3.5 (em escala até 4).

[2] Em seu discurso de posse disse “A expansão dos Estados Unidos sobre o continente americano, desde o Ártico até à América do Sul, é o destino de nossa raça (…) e nada pode detê-la.

[3] Durante o seu governo a crise entre o norte abolicionista e o sul escravocrata atingiu seu ponto forte, com o início da Guerra da Secessão iniciando-se pouco mais de um mês após a sua saída do cargo.

[4] O Irmão Buchanan considerava a escravidão imoral, porém, defendia o respeito à Constituição, que protegia a escravatura.

[5] Movimento político durante o segundo sistema partidário em busca de uma maior democracia para o homem comum. O Irmão Andrew Jackson (7º Presidente Americano) foi o líder inicial desse movimento.

[6] Equivalente americano à Câmara dos Deputados brasileira.

[7] Entre os motivos estão o de demitir o Secretário de Guerra contrariando o Senado e fazer três discursos desrespeitando o Congresso.

[8] O processo americano ocorre de forma similar ao brasileiro, cabendo a Câmara dos Representantes aprovar o processo mas ao Senado julgar.

[9] Referência aos Altos Graus do Rito Escocês.

 

Deixe uma resposta