Um trecho de “History of England”, de David Hume

gauge

“MAS o método mais eficaz empregado por Alfred para incentivar o aprendizado era seu próprio exemplo e a constante assiduidade com que, não obstante a multiplicidade e a urgência de seus deveres, se dedicava à busca pelo conhecimento. Ele dividia o seu tempo em três partes iguais: uma era dedicada ao sono, à alimentação e aos exercícios; Outra, nos seus afazeres ordinários; A terceira parte, nos estudos e na devoção. E para controlar precisamente as horas, ele usava velas de igual duração, postas em lanternas, um expediente adequado àquelas priscas eras, quando a geometria dos discos e o mecanismo dos relógios eram totalmente desconhecidos. E nesta divisão de tempo, mesmo convalescendo, este heroi – que combateu pessoalmente em cinquenta e seis batalhas em terra e mar – pôde, durante uma vida de duração normal, adquirir mais conhecimento, e mesmo escrever mais livros que muitos estudiosos abençoados com tempo livre para fazer do estudo o seu objeto ininterrupto de labor.”

HUME, David. History of England. vol I. Tradução livre por Edgard Freitas

NOTA: A “História da Inglaterra” de Hume foi lançada em 6 volumes entre os anos de 1754 e 1762, antecedendo, portanto, as “Ilustrações” de William Preston e de Thomas Smith Webb. Ainda que não trate diretamente sobre a Maçonaria, a leitura deste pequeno trecho é obviamente interessante para os maçons mais atentos às lições do grau de Aprendiz.

O livro de Hume ganhou uma tradução para o português apenas em 2015 pela Ed. Unesp, mas infelizmente numa edição condensada, que não traz o presente trecho.

This article has 1 Comment

  1. Pingback: Cıvata

Deixe uma resposta