“Com que roupa eu vou?”

A Maçonaria é uma organização que possui suas leis escritas e não escritas. As chamadas “leis não escritas” são aquelas oriundas dos usos e costumes. Albert Mackey, um dos mais célebres autores maçônicos americanos de todos os tempos, desdobra a legislação maçônica em três: os Landmarks, os Regulamentos Gerais e os Regulamentos Locais.[1] Os Landmarks,Continuar lendo ““Com que roupa eu vou?””

QUE TAL CONSTRUIRMOS PONTES NA MAÇONARIA (SÓ PARA VARIAR) OU: COMO NASCEM OS CISMAS MAÇÔNICOS?

“Cultivai o amor fraterno, pedra angular e de cumeeira, cimento e glória desta antiga Fraternidade, evitando assim o rancor, a intriga, a maledicência, as rixas, não permitindo a difamação contra um irmão honesto, mas defendendo seu caráter e prestando seus bons ofícios” – Thomas Smith Webb, Ilustrações   Se existe algo tão antigo como aContinuar lendo “QUE TAL CONSTRUIRMOS PONTES NA MAÇONARIA (SÓ PARA VARIAR) OU: COMO NASCEM OS CISMAS MAÇÔNICOS?”

A que horas começa?

O imaginário popular relaciona o estudo de Economia com finanças. Não sou da área e nem estou a par de detalhes das grandes teoria econômicas vigentes, mas sempre acreditei que na verdade economia é apenas um sinônimo para relações humanas. Durante minhas aulas de Economia no primeiro semestre do curso de Direito, a única coisaContinuar lendo “A que horas começa?”

Maçonaria na Literatura: Crônica de Machado de Assis

Machado de Assis é um dos grande autores brasileiros. Numa pequena crônica publicada em 10 de janeiro de 1884, rememorando um episódio ocorrido quando do Alvará Régio de 1817 em que o Rei Dom João VI (lembrem-se que o Brasil já não era mais Colônia, e sim “Reino Unido” com Portugal e Algarve) proibiu aContinuar lendo “Maçonaria na Literatura: Crônica de Machado de Assis”

AZUL, A COR MAÇÔNICA

AZUL, A COR MAÇÔNICA por Foster H. Garret, 33º Tradução: Luiz Felipe Roszenweig, M∴I∴ Muitas vezes falamos da “Loja Azul” e de “Maçonaria Azul”, mas será que realmente entendemos o seu significado e sua origem? Refiro-me ao uso da cor “azul”, juntamente com Loja ou Maçonaria Somos ensinados que o azul se refere à abóbadaContinuar lendo “AZUL, A COR MAÇÔNICA”

O conceito maçônico de liberdade: Maçonaria e Iluminismo

O presente artigo foi publicado no site Pietre-Stones Review of Freemasonry, sendo de autoria do Irmão Alex Davidson, Past Master das Lojas United Masters #167 e Liberal Arts #500 da Grande Loja da Nova Zelândia. Pela sua relevância acadêmica, providenciamos aqui sua tradução para o português. O conceito maçônico de liberdade: Maçonaria e Iluminismo PorContinuar lendo “O conceito maçônico de liberdade: Maçonaria e Iluminismo”

Maçonaria na Literatura: “O Homem que queria ser Rei”, de Rudyard Kipling

Este artigo, de minha autoria, foi publicado originalmente na Revista Ciência e Maçonaria, Vol 1. nº 2 (2013). Conheça e prestigie o trabalho desta importante revista maçônica brasileira. : http://www.cienciaemaconaria.com.br/index.php/cem O Homem que queria ser Rei: Uma aventura Maçônica Resumo O presente trabalho busca demonstrar a influência da filosofia e do simbolismo maçônico presentes noContinuar lendo “Maçonaria na Literatura: “O Homem que queria ser Rei”, de Rudyard Kipling”

Diálogos de um velho Cobridor – I:4

Diálogos de um velho Cobridor Por Carl Claudy (1879-1957) Tradução: Edgard da Costa Freitas Neto, M∴ M∴ Os “Diálogos de um velho Cobridor” são uma série de pequenas peças escritas pelo Ir∴ Carl Claudy no ano de 1924 que retratam, através do diálogo fictício entre um maçom com pouco tempo de iniciado e um maçomContinuar lendo “Diálogos de um velho Cobridor – I:4”

O Ágape

Por Rodrigo Peñaloza* Para nós, o termo “amor” é um termo equívoco, ou seja, o mesmo termo é usado para referir-se a uma imensidade de sentimentos distintos. O nosso idioma não os diferencia porque, no fundo de nossas mentes e da psiquê coletiva, não dedicamos a devida reflexão a eles. Os antigos gregos, entretanto, jáContinuar lendo “O Ágape”

O Salmo de Davi – Salmo 133

Semanalmente, durante o início da cada sessão em quase todas as lojas brasileiras, o V.M. escolhe um Irmão para oficiar no altar, abrindo o Livro da Lei e declamando o texto bíblico que dá nome a minha Loja Mãe, o Salmo de Davi Nº 133. Aqueles que têm o costume de visitar outras lojas, comContinuar lendo “O Salmo de Davi – Salmo 133”